Mudanças que o Mercado trouxe para o Mundo dos CFOs.



O novo cenário mundial deixou claro que as empresas precisam melhorar não apenas a forma como obtêm as informações, mas também como analisam os dados e os transformam em algo de maior utilidade e praticidade.


A adoção de novos modelos, técnicas e tecnologias inovadoras para melhorar o relacionamento com os clientes, passou a ter um papel fundamental dentro das corporações. Toda posição sênior e também os C-Level não só tem que compreendê-las, como também tem que saber tirar o melhor proveito delas.


Esta capacidade de explorar o poder das novas tecnologias incorporadas pela transformação digital, proporcionou às empresas o acesso a uma maior quantidade de informações produzidas, armazenadas, e analisadas por novos softwares, desenvolvidos para otimizar os negócios e fazê-los crescer rapidamente. E, graças ao bom gerenciamento da complexidade das informações obtidas, transformando-as em conhecimento, obtêm-se uma melhora dos processos de tomada de decisão.


A capacidade de sintetizar é o grande negócio do momento, afinal, tempo é muito mais que dinheiro.



Um novo modelo de CFO


Dentro deste novo contexto da revolução digital, a função do diretor financeiro, ou CFO (Chief Financial Officer) mudou e evoluiu para um outro patamar. Ele passou a estar mais informado sobre os desenvolvimentos tecnológicos e a ter uma influência mais estratégica na empresa.


As áreas financeiras passaram a realizar investimentos substanciais em softwares de planejamento de recursos empresariais, para facilitar a medição e organização de informações entre as unidades de negócios.


Cada vez mais envolvidos na implementação de sistemas estratégicos digitais, estes novos Diretores Financeiros, também passaram a ter insights do negócio a partir dos dados gerados pelos novos softwares, criando relatórios não só quantitativos como também qualitativos. O acesso ao resultado das pesquisas junto aos consumidores permite, por exemplo, conhecer a fundo quem, como, por que e quando influenciava nas decisões de compra dos produtos de sua empresa. Tudo passou a fazer parte do paladar analítico do novo CFO.


Nesta transição de função, houve sem dúvida uma mudança significativa na forma de obtenção e análise de dados, que flexibilizou a interpretação do conteúdo das informações, deixando as previsões mais alinhadas ao negócio e ao mercado. Os CFOs passaram a representar muito mais que números, tendo um papel importante na geração de valor junto às corporações modernas.


Os chamados BI - Business Intelligence e CPM - Corporate Performance Management são os grandes suportes do momento, ferramentas essenciais para as tomadas de decisões e planejamentos estratégicos, que trazem uma visão qualitativa de curto e longo prazo que antes nos tomava dias ou até meses para construir.



Transformação digital e os desafios para o novo CFO


Quando falamos em “transformação digital”, nos referimos ao uso dessas novas tecnologias que servem para impulsionar melhorias significativas nos negócios que aparecem a qualquer momento e em todos os lugares.


As mudanças estão apenas começando e já mostram seus impactos. Um tweet único pode custar a uma empresa milhões!


A volatilidade macroeconômica e geográfica pode resultar em flutuações de preços de câmbio e commodities. Respondê-la requer acesso a dados mais recentes. Através de plataformas de memória, que combinam informações transacionais e analíticas, CFOs disponibilizam rapidamente as informações necessárias as outras áreas da empresa. Além de gerenciar a volatilidade, eles também integralizam as informações mercadológicas, visando mitigar o risco e maximizar o valor potencial do negócio, criando medidas de ajustes de curto prazo, sem perder de vista o plano de longo prazo.


Hoje a influência do diretor financeiro nas decisões sobre os recursos necessários para a realização de projetos digitais que possam agilizar a interpretação das informações, vai além dos patamares anteriormente definidos.


O novo CFO sabe o que funciona e o que não funciona para ajudar a conduzir o navio na direção certa. Ele é o novo “consultor de negócios confiável”. Por sua posição privilegiada, na intersecção entre finanças, tecnologia e estratégia, passou a ter um papel de destaque nas iniciativas digitais. O controle de custos é mais uma variável, não uma prioridade, e o CFO moderno pensa no investimento como forma de crescimento da sua empresa.


Em resumo, o novo CFO, passou a desempenhar quatro novas atividades:


  • Ajudar na estratégia da empresa

  • Ter uma visão mais holística da performance do negócio, analisando os resultados obtidos frente às decisões tomadas pela empresa e às mudanças do mercado

  • Desenvolver novos modelos operacionais frente a nova conjuntura global, visando a redução de custos

  • Falar o idioma “digital”


Como novo “sócio estratégico”, o CFO moderno encontrará a oportunidade para uma maior transformação do negócio, contribuindo para uma nova visão de valor para a empresa.



_________________________________________________

Rubens Dias

Sócio de Finanças

innovativa - Executivos Associados

rubens.dias@innovativa.com.br

www.innovativa.com.br

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2015 by innovativa - Executivos Associados. Todos os direitos reservados.

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Social Icon